26 de jun de 2013

Guerra

o povo vai ganhar experiência desse jeito...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=h0wAA4fXTsI#at=188

acción espontánea de las masas

"En una revolución social, en todo opuesta diametralmente a una revolución política, los individuos apenas y cuentan, mientras que la acción espontánea de las masas lo es todo. Todo lo que los individuos pueden hacer es clarificar, propagar, y desarrollar las ideas que corresponden al instinto popular, y, cosa aun más importante, contribuir con sus esfuerzos incesantes a la organización revolucionaria del PODER NATURAL DE LAS MASAS. Pero nada más que eso; el resto sólo podrá hacerlo el propio pueblo." (M. Bakunin)

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2011/09/protestos-chegam-a-capital-pms-colocam-fogo-em-pneus-na-avenida-maua-no-centro-3470328.html





22 de jun de 2013

esquerda vou ver

se até o PC sabe explicar minimamente a diferença, não é vc q vai sair pras ruas sem entender isso né!?

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=UiVDtWb7K48

20 de jun de 2013

violento é o ESTADO!

a foto mostram o momento em que as bombas de gás eram atiradas no meio da multidão de milhares de pessoas, que desesperadas se atropelavam, como está acontecendo agora em frente a Prefeitura Municipal. 
isso é violência!! ISSO É VIOLÊNCIA!!! uma manifestação que não teve um inicio de conflito, se não a ação direta da PM.

12 de jun de 2013

mulher (pós)moderna

O projeto do ano:
ficar feia*!

Eu vou engordar e estou avisando,
mas no teu machismo
eu não vou me enquadrar!
E se despertar interesse atrapalha
engordo ou fico careca,
não tô nem ligando!
Essas relações
tão sonhadas livres
se encontram com arbitrariedades
ou obrigatoriedades
de relacionar-se
ou de foder
ou de fazer café ao amanhecer...
vai entender...
E o meu bem querer?
Se bem que se era bem
já nem vê mais porque de ser..
A obrigatoriedade me
desinteressa
tira até o tesão!
E não: eu não quero teu perdão!
Não troco dignidade
como mercadoria,
não sou boneca,
nem vivo em uma prateleira
ou muda - MUDA! -
ou calada.
E se vivo inflada
é tesão de viver
essa vida que você
deixou de conhecer...
Seu trouxa,
não sou parte do mercado.
E nem tente vender essa ideia também,
ou te adonar dessa maneira
de meu corpo ou vontade,
ou me adornar de outras tantas
verdades...
E vê se me esqueça!
Já não estou mais a vontade
com essa situação.

Machista: não tem desculpa,
não quero tua culpa,
isso nem tem perdão.

* de acordo com a estética top model esquelética de rostos uniformes e cabelo de laquê disforme.

10 de jun de 2013

VISA

quebrei o cartão do banco
para não comprar mais nada com ele.
economizar é não comprar, meu bem.
esse ato revolucionário
VISA a minha acumulação de capital.
cúmulo,
não lucro.

me capitalizo,
me decapto,
me encaixo na renda
da média per capita
da classe média.

mais valia quando era meu
o valor que eu avalio,
o lucro era alegria
e economizar
era conversa de bebada metida
ou fim de noite ensolarado

5 de jun de 2013

Não calaremos

me pintou com todas as cores do arco iris
pra falar de indignação
pra dizer que eu, ela, nós
NÃO CALAREMOS

e pintaremos o sete se necessário
pra falar de liberdade
pra pintar as cores da resistência
em cada canto desse Estado
NÃO CALAREMOS

o concreto cinza
ficou coberto de tinta
testemunho da desacomodação
todos os muros da cidade vão gritar:
NÃO CALAREMOS


com um arco iris nas mãos
e um pote de ouro pra dividir
aviso: estamos construindo a revolução!
NÃO CALAREMOS

ps: http://www.youtube.com/watch?v=MaEmQrvc8wM

4 de jun de 2013

Barbara

Acho que eu vi algo da tua alma, sabia?
Tenho certeza
Estava lá, vibrando
Quando debrucei-me embriagada sobre o teu peito,
Para observar
E ela fez-se em cores -
Linda(s).
Vermelho batom
Que encarna a personagem na rua,
No palco,
Da rebeldia do teu grito contra o conformismo
Que nunca poderão apaziguar
O amarelo da iluminação das ruas que tropegamos à noite,
Da fita, barra do ouro,
Da felicidade que a sua presença traz
A Pachamama verde que te emprestou lentes
Para vê-la intrínseca a ti e ao mundo,
Mas que chora a indiferença dos ignorantes,
Da sua generosidade, das suas concessões
Esquizofrênicos na ilusão ferínea do poder,
Superiores a qualquer sujeira cor de ganância, de
concreto, monóxidos, dióxidos e polímeros.
Vi fumaça roxa
Da mulher, mais uma incendiária das palavras no cotidiano
Dos grilhões-ideário grotescos e ignorantes, puídos dos abusos,
Da imposição de conduta moral,
Da contenção dos corpos
Da bobagem que insiste, estupidamente em em controlar quem já nasceu respirando do...
O azul
Liberdade que te contorna,
Que dá cor ao amor, não mais tingido vermelho,
Pois se expressa livre e plural
E que por amá-lo tanto
Jamais o desejaria apenas para mim
Pois assim quem o retribuísse poderia também,
A sua alma,
Que transborda pela grandeza
Ver