15 de jul de 2013

REBELDIA

rebelar-se
e sentir conforto no cheiro de vinagre
no abraço escondido da tropa de choque
a matiz do ar é de bomba de gás
e teus olhos espelham o rosto tapado
teu cheiro me impregna
me desintegra
e me alegra
comove, me move e envolve...
ventos e odores
amor
anarquia
efervescência e
rebeldia
revolução
empoderamento
revolucionar a AÇÃO

13 de jul de 2013

TE INFORMA!

http://coletivocatarse.com.br/home/link-ao-vivo/

a mídia de massas manipula a informação, te informa com quem tá disposto a assegurar que a comunicação seja feita da maneira mais direta possível.

"Eu não preciso ler jornais
      
Mentir sozinho eu sou capaz"

12 de jul de 2013

O ESTADO É A NEGAÇÃO DA HUMANIDADE!

Aquele que botar as mão sobre mim, para me governar, é um tirano, um usurpador
Eu o declaro meu inimigo!
Eu o declaro meu inimigo!

Será que vivemos nós os proletários, será que vivemos?!

Será que vivemos nós os proletários, será que vivemos?!

Será que os fracos remédios que tomamos não seriam as doenças que nos corroem!?
Será que os fracos remédios que tomamos não seriam as doenças que nos corroem!?

Quem semeia miséria colhe fúria: O ESTADO É A NEGAÇÃO DA HUMANIDADE!

Quem semeia miséria colhe fúria: O ESTADO É A NEGAÇÃO DA HUMANIDADE!

Quem semeia miséria colhe fúria: O ESTADO É A NEGAÇÃO DA HUMANIDADE!

http://www.flickr.com/photos/midianinja/9257323603/in/set-72157634582230233/

7 de jul de 2013

É que preciso dizer...


preciso dizer

tu tem muito do que me faltava

teu olhar macio

teu abraço apertado

tu estar sempre aqui

te ter ao meu lado

é um pouco daquilo

q eu a muito queria

que tanto faltava

e tem tanto em ti

q a surpresa me cala

a boca boba

escancara

só sabe sorrir



doce companhia

te encontro de noite

te escrevo meu dia

e fato confesso

na rotina eu fugia

mas até esse excesso

de te ter todo dia

tão rápido supero

no fundo, eu quero

espero, sincero

antes assustaria

é q encaixa na falha

da ausência q eu tinha

mesmo tua cara boba

tua sempre alegria

e tua tanta calma

era o tanto q eu não via


tu encaixou nas horas

no movimento, na garra

na alma revolta e na rebeldia

tu encaixou no meu corpo

no meu amor e minhas utopias

encaixou nos pensamentos

no frio e no medo

no exato momento

que ninguém previa

por isso te quero

te penso

te sonho

espero

desejo

mais dias...

6 de jul de 2013

Te informa!

Busca a tua informação porque a grande mídia mente!

"o povo não esquece, abaixo a RBS", empresa manipuladora e monopolizadora das mídias de massa, que deu respaldo ao Regime civil-militar no Brasil de 20 anos atrás.

http://coletivocatarse.com.br/home/muitas-casas-da-avenida-tronco-ja-estao-no-chao/

http://jornalismob.com/2013/07/04/bloco-de-lutas-vai-a-vila-cruzeiro-zero-hora-nao-enxerga-mobilizacao-da-periferia/

4 de jul de 2013

Mundo cão!


quem dera fosse
matilha versus matilha
sem armas ou munição
tempos e guerras
revolução
rebeldia
anarquia
caos e reconstrução
flores e frutos novos
a germinar primaveras
alem da chuva de inverno
alem do lucro e da exploração

quem hoje se rebela
não quer mais ficar caladx
tem seu grito comprado
pelos ares políticos
democráticos

quero ver a pratica seguir
quero ver brigadiano sair
a marchar do nosso lado
quero ver o povo aplaudir
o não Estado
o desmilitarizado
quero ver ouvir e cantar
o não hino popular
quero poder afirmar
que aqui jaz a miséria e a falácia

26 de jun de 2013

Guerra

o povo vai ganhar experiência desse jeito...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=h0wAA4fXTsI#at=188

acción espontánea de las masas

"En una revolución social, en todo opuesta diametralmente a una revolución política, los individuos apenas y cuentan, mientras que la acción espontánea de las masas lo es todo. Todo lo que los individuos pueden hacer es clarificar, propagar, y desarrollar las ideas que corresponden al instinto popular, y, cosa aun más importante, contribuir con sus esfuerzos incesantes a la organización revolucionaria del PODER NATURAL DE LAS MASAS. Pero nada más que eso; el resto sólo podrá hacerlo el propio pueblo." (M. Bakunin)

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2011/09/protestos-chegam-a-capital-pms-colocam-fogo-em-pneus-na-avenida-maua-no-centro-3470328.html





22 de jun de 2013

esquerda vou ver

se até o PC sabe explicar minimamente a diferença, não é vc q vai sair pras ruas sem entender isso né!?

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=UiVDtWb7K48

20 de jun de 2013

violento é o ESTADO!

a foto mostram o momento em que as bombas de gás eram atiradas no meio da multidão de milhares de pessoas, que desesperadas se atropelavam, como está acontecendo agora em frente a Prefeitura Municipal. 
isso é violência!! ISSO É VIOLÊNCIA!!! uma manifestação que não teve um inicio de conflito, se não a ação direta da PM.

12 de jun de 2013

mulher (pós)moderna

O projeto do ano:
ficar feia*!

Eu vou engordar e estou avisando,
mas no teu machismo
eu não vou me enquadrar!
E se despertar interesse atrapalha
engordo ou fico careca,
não tô nem ligando!
Essas relações
tão sonhadas livres
se encontram com arbitrariedades
ou obrigatoriedades
de relacionar-se
ou de foder
ou de fazer café ao amanhecer...
vai entender...
E o meu bem querer?
Se bem que se era bem
já nem vê mais porque de ser..
A obrigatoriedade me
desinteressa
tira até o tesão!
E não: eu não quero teu perdão!
Não troco dignidade
como mercadoria,
não sou boneca,
nem vivo em uma prateleira
ou muda - MUDA! -
ou calada.
E se vivo inflada
é tesão de viver
essa vida que você
deixou de conhecer...
Seu trouxa,
não sou parte do mercado.
E nem tente vender essa ideia também,
ou te adonar dessa maneira
de meu corpo ou vontade,
ou me adornar de outras tantas
verdades...
E vê se me esqueça!
Já não estou mais a vontade
com essa situação.

Machista: não tem desculpa,
não quero tua culpa,
isso nem tem perdão.

* de acordo com a estética top model esquelética de rostos uniformes e cabelo de laquê disforme.

10 de jun de 2013

VISA

quebrei o cartão do banco
para não comprar mais nada com ele.
economizar é não comprar, meu bem.
esse ato revolucionário
VISA a minha acumulação de capital.
cúmulo,
não lucro.

me capitalizo,
me decapto,
me encaixo na renda
da média per capita
da classe média.

mais valia quando era meu
o valor que eu avalio,
o lucro era alegria
e economizar
era conversa de bebada metida
ou fim de noite ensolarado

5 de jun de 2013

Não calaremos

me pintou com todas as cores do arco iris
pra falar de indignação
pra dizer que eu, ela, nós
NÃO CALAREMOS

e pintaremos o sete se necessário
pra falar de liberdade
pra pintar as cores da resistência
em cada canto desse Estado
NÃO CALAREMOS

o concreto cinza
ficou coberto de tinta
testemunho da desacomodação
todos os muros da cidade vão gritar:
NÃO CALAREMOS


com um arco iris nas mãos
e um pote de ouro pra dividir
aviso: estamos construindo a revolução!
NÃO CALAREMOS

ps: http://www.youtube.com/watch?v=MaEmQrvc8wM

4 de jun de 2013

Barbara

Acho que eu vi algo da tua alma, sabia?
Tenho certeza
Estava lá, vibrando
Quando debrucei-me embriagada sobre o teu peito,
Para observar
E ela fez-se em cores -
Linda(s).
Vermelho batom
Que encarna a personagem na rua,
No palco,
Da rebeldia do teu grito contra o conformismo
Que nunca poderão apaziguar
O amarelo da iluminação das ruas que tropegamos à noite,
Da fita, barra do ouro,
Da felicidade que a sua presença traz
A Pachamama verde que te emprestou lentes
Para vê-la intrínseca a ti e ao mundo,
Mas que chora a indiferença dos ignorantes,
Da sua generosidade, das suas concessões
Esquizofrênicos na ilusão ferínea do poder,
Superiores a qualquer sujeira cor de ganância, de
concreto, monóxidos, dióxidos e polímeros.
Vi fumaça roxa
Da mulher, mais uma incendiária das palavras no cotidiano
Dos grilhões-ideário grotescos e ignorantes, puídos dos abusos,
Da imposição de conduta moral,
Da contenção dos corpos
Da bobagem que insiste, estupidamente em em controlar quem já nasceu respirando do...
O azul
Liberdade que te contorna,
Que dá cor ao amor, não mais tingido vermelho,
Pois se expressa livre e plural
E que por amá-lo tanto
Jamais o desejaria apenas para mim
Pois assim quem o retribuísse poderia também,
A sua alma,
Que transborda pela grandeza
Ver

15 de mai de 2013

pedaço


Achei atirado em um canto.
Jogado
Desesperado

Não consigo dizer nada.
Não
       [sai]
Fica
          [ou]
vai
             embora
Me esquece todos os dias
Para me lembrar todas as noites.

Não enche!
Me deixa viver
Me deixa gozar
Eu vou viver sem você.

27 de abr de 2013

indigna ação

saco.
insisto em sentir saudade tua.
movimento involuntário do músculo burro.
pq meu corpo reage?
respondendo a pergunta nenhuma,
reação da não ação,
do vazio da inércia.
saco mesmo!
quimica?
fisica quando te sinto na pele,
calor do gelo...

não sei.
não entendo.
não quero.
e sigo pulsando pra isso tudo de novo.
ainda pulsa...

fato não científico comprovado.
não aprovado
nem pensado.
involuntário,
automático,
reação?
INDIGNAÇÃO!

25 de abr de 2013

Trava língua


Indispensável

In:   diz-se   pensável...
Despeço-me e
penso
(ou peco?),
peço:
Dispensa.
A Deus(es),
há deus?!
A deusa,
adeus,
vou tarde.

23 de abr de 2013

chá de camomila

compressa
  de camomila
para o tersol
de tarde
numa terça de sol
sem pressa
na viola,
  um G
uma terça abaixo
só pra ouvir o tom exato
                    da tua voz
 

11 de abr de 2013

o processo

o descaso
absurdo
caso
recorrente
sistema
excludente
escasso
e o respeito?
e a solidariedade?

burburinho alto
microfone grita
faces tensas silenciam
vaga o banco
amarelo
chamam nomes
mulheres homens
empresas
caras surpresas
de nós de gravata

silencio notável
nota do haver
estado
injustificado.

4 de abr de 2013

Duas


(Des)apaixonadas
Geminianas
Duas caras
Gême@s
Dupla moeda

Intensidade insana

Quero andar do teu lado
          desejo forte
E quando não é forte?
Se for ao teu lado
hoje sorte
Ou morte?
Lenta      larga     intensa    insana

Quero agora a(a) vontade
De te atirar pela janela!
E não me importar...
E desejar tão forte
me DEFENESTRAR
Encontrar caminho de te tirar
- e re   tirar -
Dessa minha janela (ela)
só faz lembrar
história que não,
nunca.

Insanidade intensa

Não fale de você,
egocentrismo enjoa.
Odiarei seu 'ce
Desde o cacoete com os óculos,
o olho pequeno em que eu não caibo,
emaranhado de cachos (ou não) indecisos
à tua hipocrisia que te faz feliz...
Atua.

Isso que chamei amor,
a partir de hoje vou renegar.
Com ira aveludada,
fel de escorpião
e rasteira de serpente,
vou recusar.

A partir de hoje, mais forte ainda, vou te odiar.

30 de mar de 2013

Te quiero


Te quero toda
Uma vez mais
Toda mais

Te queiro inteira
Sem meias metades
Ou verdades

Te quero nua
Cheia
Lua

Te quero sim
Te imploro
Choro

E volto atrás
Sem nada mais
Meias verdades
Tuas
Lua
Rua
Vazia

24 de mar de 2013

A obrigatoriedade me desinteressa...

20 de mar de 2013

Libertar


Esse tudo nada que conta essa historia...
Tudo sempre tanto,
tantos tanto,
tantos de nadas...
Ou coisa alguma
de algumas doses,
de bebida pura
sugada d’alma
da adega amarga.
Mais doce fel,
uma dose mais...
Cru(el)
e ainda assim
(me) EmbriagaDA

Me mergulha fundo quando me encara
Me destrói em tragos
De estragos
Dos cacos deixados
Cravados
Sangrados da luta mais bela
e não bélica
que se pode ousar...

Amo sim
Amo tanto que insisto em amar
E amo ele
E amo ela
E amo até mesmo aquela que te me quer amar

Amo,
sem senhor ou senhora,
de amor,
de amar!
Conjugação da 1ª pessoa
Do verbo libertar!

3 de mar de 2013

Alargador
Alarga    dor
A    larga    dor
Presente   teu.
Presença   tua.
Ausência   nossa.

27 de fev de 2013

Foi como passar a noite com você



Acordei mais completa
apesar de saber que não dura..
tenho encontrado o vazio
                                            R O T I N A M E R D A M E N T E
em mim

provei mais uma fatia da torta
noite passada
presente seu
noite roubada

quanto mais te leio
mais te email
mais se transforma tua
a musica do player

mais te tenho tua
mais me tens desnuda
mais te quero nua
mais te tenho muda.

26 de fev de 2013

Marílias


Passo.Carro.Vida.Morte
Passo.Carro.Vida.Morte

Rastas coloridos no asfalto negro
Sorriso amarelo na consciência de quem foge

Como se dorme?
Se no tempo do semáforo não cabe arte
Não cabe espera

Como se segue?
Quando uma estrela se apaga como a luz de um escritório
Quando uma gargalhada vira grito e silencia
Quando tudo e nada tem a mesma medida


Lunes, 18 de junio de 2012